O PROCESSO DE PEDOFILIZAÇÃO NO YOUTUBE: INFÂNCIAS E O MUNDO DO TRABALHO NAS MÍDIAS

Autores

  • Fabiana SIMIGUEN BARBOZA
  • Renata SANTOS PEDREIRA
  • Fabiane FREIRE FRANÇA

Palavras-chave:

Educação. Mídias. Erotização infantil. Trabalho. Mc Medody

Resumo

Neste artigo, objetivamos refletir sobre como as redes virtuais, em especial o
YouTube, têm contribuído para a exposição de crianças na sociedade, e como este
assunto tem sido abordado nas mídias. Para isso, selecionamos como objeto de
estudo desta pesquisa, o canal de conteúdos audiovisuais da cantora mirim
Gabriella Abreu Severino, conhecida no meio artístico como Melody. Buscamos
analisar e problematizar as representações acerca dos corpos erotizados que
circulam em suas redes virtuais. Por meio do mapeamento dos vídeos do canal do
Youtube, foi realizada a identificação de discursos e comportamentos que fogem das
concepções de infância e trabalho, presentes em nossa sociedade. Utilizamos, como
procedimento metodológico, o estudo de caso (YIN, 1994; GIL, 2008), que
representa uma investigação empírica e compreende um método abrangente, com a
lógica do planejamento, da coleta e da análise de dados. Assim, verificamos uma
oscilação entre comportamentos considerados adequados à idade de Melody, pelo
público, e comportamentos com forte sensualização de seu corpo, bem como a
omissão legal do enquadramento de trabalho artístico infantil.

Downloads

Publicado

01-11-2021

Como Citar

SIMIGUEN BARBOZA, F., SANTOS PEDREIRA, R., & FREIRE FRANÇA, F. (2021). O PROCESSO DE PEDOFILIZAÇÃO NO YOUTUBE: INFÂNCIAS E O MUNDO DO TRABALHO NAS MÍDIAS. Revista Unifamma, 20(1). Recuperado de http://revista.famma.br/index.php/ru/article/view/134