FORMAÇÃO INTEGRAL DO SER HUMANO OU PREPARAÇÃO AO MERCADO? A BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR (BNCC) EM QUESTÃO

Autores

  • MARIA CAROLINA MIESSE
  • Vania de Fátima Matias de Souza

Palavras-chave:

Formação Integral. Políticas educacionais. BNCC. Empregabilidade.

Resumo

O presente trabalho objetiva analisar a concepção de formação integral implícita na
Base Nacional Comum Curricular. Caracteriza-se como uma investigação qualitativa,
sustentada na pesquisa bibliográfica com análise documental. As análises
promovem a interlocução a partir da historicidade conceitual trazida pelo termo
formação integral de modo a compreender sua constituição nas políticas
educacionais atuais. Como resultados, identificou-se a concepção ideológica
marcada pelo conceito de uma formação que subjugue o sujeito, desenvolvendo-o
seus aspectos afetivo, cognitivo, físico, social, entretanto contrapondo-se aos
pressupostos implícitos da lógica do capital, expressos no documento na
sustentação dos termos competência, habilidades além dos parâmetros da
produtividade, competividade e empreendedorismo. Por fim, pode-se concluir que
sendo uma política curricular vincula-se aos pressupostos do contexto do mundo do
trabalho, com foco na expropriação e a mera preparação da empregabilidade do
sujeito.

Downloads

Publicado

01-11-2021

Como Citar

MIESSE, M. C., & Matias de Souza, V. de F. (2021). FORMAÇÃO INTEGRAL DO SER HUMANO OU PREPARAÇÃO AO MERCADO? A BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR (BNCC) EM QUESTÃO. Revista Unifamma, 20(1). Recuperado de http://revista.famma.br/index.php/ru/article/view/133