Revista da Extensão http://revista.famma.br/index.php/rex <p>A Revista da Extensão é uma publicação do Programa de Extensão do Centro Universitário de Maringá - UNIFAMMA que tem como objetivo socializar as atividades de extensão, enquanto espaço de trocas, contribuindo para o fortalecimento e a valorização dos diferentes saberes, ampliando o diálogo sobre práticas extensionistas.</p> <p>ISSN: 2596-3023</p> Centro Universitário de Maringá - UNIFAMMA pt-BR Revista da Extensão 2596-3023 INCLUSÃO DA EXTENSÃO EM CURSOS DE SAÚDE DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19 http://revista.famma.br/index.php/rex/article/view/205 <p>O ano letivo de 2020 marcou profundas mudanças nos docentes e discentes de todo o mundo. De forma muito abrupta, a pandemia causada pelo novo coronavírus foi deflagrada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que teve início na China, no final de 2019. Dentre as diversas mudanças que a pandemia trouxe, foi a suspensão das aulas presenciais em todo o território brasileiro, com início em 23 de março de 2020 e sem previsão de retorno à normalidade (WERNECK E CARVALHO, 2020; MALVÃO, 2020)</p> <p>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; Em poucos dias desde a declaração da OMS, a sala de aula passou para o cyberespaço e todas as pessoas viveram momentos de incerteza, medo, pânico e ansiedade. O vírus era praticamente desconhecido e muitas informações circulavam de forma equivocada sobre ele. E, em meio a tudo isso, todo o planejamento semestral das instituições de ensino teve que ser adaptado. Vale ressaltar aqui que uma minoria dos professores e alunos tinham contato, naquele momento, com a sala de aula remota. Portanto, a insegurança de ministrar aulas em um novo formato tomou conta dos docentes, que não podiam passar tal sentimento aos seus alunos.</p> <p>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; Apesar de todo esse sentimento de incerteza e fragilidade, a suspensão das aulas por tempo indeterminado foi a medida mais acertada a ser tomada, para garantir a segurança e a saúde de todos os envolvidos no processo de ensino-aprendizagem. Como pode-se perceber ao longo do tempo, o isolamento foi a forma mais robusta de conter a disseminação do vírus até a chegada das vacinas (MALVÃO, 2020; GOMES, 2020).</p> <p>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; Desta forma, as instituições de ensino de todo país tiveram que adequar seus calendários letivos para a oferta das aulas nessa nova modalidade. E muitas plataformas de ensino foram inseridas nestes processos, havendo a necessidade de treinamento intenso de toda a equipe pedagógica e administrativa para atender as demandas necessárias para o andamento do ano letivo.</p> <p>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; Além das aulas, as instituições tiveram que adaptar as suas práticas e esse foi um desfaio ainda maior para os cursos de saúde no mundo todo. Como poderia ocorrer a inclusão do aluno no ambiente de prática, com um vírus mortal circulando? Como lembrar esse aluno que estar em casa não era mais sinônimo de férias e descanso? Como incluir a curricularização da extensão nos cursos superiores, motivando docentes e discentes?</p> <p>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; Ou seja: além de toda a problemática da pandemia, as instituições de ensino precisaram de muito jogo de cintura para manter seus alunos motivados, interagindo e acolhendo suas fragilidades emocionais, psicológicas e até financeiras. Num panorama geral, pode-se considerar que a educação foi o segundo setor mais afetado pela pandemia, ficando atrás somente da saúde propriamente dita. Especialistas já decalcaram, no ano de 2020, que a educação seria o setor que mais sofreria com o impacto da pandemia, pois foi a primeira a se adaptar ao ‘novo normal’. E essa é a realidade percebida por todos os atores do processo anos depois (EXPONENCIAIS, 2020; BRAVO, 202).</p> Érica Benassi-Zanqueta Mariana Volpato Junqueira Mariana Machado Lima Copyright (c) 2023 2023-01-17 2023-01-17 4 - TRANSFOBIA: INVISIBILIDADE, VIOLÊNCIA E DIREITOS http://revista.famma.br/index.php/rex/article/view/206 <p>Ter uma identidade de gênero que se afasta das ditas como “normais” na sociedade são transformadas em anomalias e carregadas de preconceitos e discriminações que, no máximo, levam a exclusão, miséria, abandono e assassinato de pessoas pelo fato de serem trans. Essa violência à comunidade trans, em que as mulheres e homens são alvos, apresenta-se, em uma realidade distante da verdadeira, o relato dos crimes de ódio, a um nível mais intenso, como um próprio genocídio. O presente trabalho, desenvolvido no projeto Integrador III tem como objetivo dar visibilidade, uma tentativa de demonstrar a violência estrutural e sistemática, seja na família, na religião e em toda a sociedade, contra a população trans. É também uma forma de esclarecer a população cis sobre os direitos que hoje são garantidos a todo e qualquer cidadão independente de sua identidade de gênero, com isso iniciar uma transformação de pensamento, respeito a partir da comunidade acadêmica.</p> Alexsandra Silva de Oliveira Beatriz dos Santos Guerra Primo Elaine Cristine Barros de Oliveira Giovana Eleotério Galego Márcia Gomes E. da Luz Vinícius Matheus da Silva Thácila Lopes Antunes Wagner Nanni Copyright (c) 2023 2023-01-17 2023-01-17 4 - APLICAÇÃO CLÍNICA DE PECS NO ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO DE PACIENTES COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA: REVISÃO DE LITERATURA E RELATO DE CASO http://revista.famma.br/index.php/rex/article/view/207 <p>O Picture Exchange Communication System (PECS) é um sistema de comunicação utilizado em indivíduos com transtorno do espectro autista e/ou pouca fala funcional. Neste sistema utilizam-se figuras para ampliar o repertório da criança e estimular a sua comunicação. Diante disso, o objetivo deste trabalho é realizar uma revisão de literatura sobre o uso de PECS no atendimento odontológico e exemplificar a sua utilização na prática clínica. Para a revisão de literatura realizou-se uma busca em duas bases de dados, o PubMed e o Google Acadêmico, utilizando as palavras-chave ‘’PECS’’, ‘’autism’’ e ‘’dentistry’’. Como resultados percebe-se que há poucos relatos da utilização das PECS na odontologia, porém, nos artigos encontrados, apresentam a aplicação não somente no manejo como também no tratamento preventivo e restaurador em pacientes com autismo. Diante dos relatos de eficácia na utilização de PECS durante o atendimento odontológico empregou-se a técnica para manejo em uma consulta preventiva de um paciente não verbal com transtorno do espectro autista. A partir disso, foi observado que o uso das figuras auxiliou o paciente a compreender melhor as intervenções realizadas durante o atendimento. Diante dos achados literários e da aplicação clínica conclui-se que a PECS parece ser eficaz na comunicação e para realização de procedimentos odontológicos em pessoas com autismo.</p> COSTANTINO, J. EMERENCIANO, N. G. Copyright (c) 2023 2023-01-17 2023-01-17 4 - ATRASO ERUPTIVO DE DENTE PERMANENTE OCASIONADO POR DENTE SUPRANUMERÁRIO – RELATO DE CASO http://revista.famma.br/index.php/rex/article/view/208 <p>Dente supranumerário é considerado um distúrbio de desenvolvimento, caracterizado por excesso de dentes. As complicações associadas com supranumerários são retardos na erupção, impactação, diastema, lesões císticas, erupção ectópica, reabsorção radicular dos dentes adjacentes, entre outras. Geralmente, é indicada a exodontia como forma de tratamento para impedir essas ou qualquer outra complicação. Além do mais, mesmo com a remoção do supranumerário, o dente permanente pode apresentar dificuldade em erupcionar, nesses casos, é necessário intervir de maneira específica, e uma das opções possíveis de intervenção é a ulectomia, que consiste na remoção da gengiva fibrosa para expor a coroa do dente e então auxiliar na sua erupção. O objetivo deste trabalho é relatar um caso sobre exodontia de dente supranumerário incluso seguido de uma ulectomia, visando enfatizar a relevância de acompanhamentos periódicos para obter tratamento apropriado no momento adequado. Para isso, será apresentado o caso de um paciente do gênero masculino, com 10 anos de idade, que compareceu na clínica de odontopediatria se queixando da ausência do dente 11. No exame clínico, foi observada a presença do dente 51 e, após realização do exame radiográfico, ficou evidente a presença de um dente supranumerário entre os dentes 11 e 12. O plano de tratamento proposto foi a exodontia do 51 e do supranumerário. Após um ano de acompanhamento, observou-se que o dente 11 ainda não havia erupcionado, então foi realizada uma ulectomia, em seis meses, o dente estava totalmente erupcionado. Dessa forma, conclui-se que este tipo de anomalia dentária requer intervenção no momento oportuno, além disso, realizar acompanhamentos periódicos, a fim de detectar possíveis distúrbios na erupção do dente permanente.</p> MARQUES, A EMERENCIANO N. G. Copyright (c) 2023 2023-01-17 2023-01-17 4 - AVALIAÇÃO DO GRAU DE CONVERSÃO DE RESINAS COMPOSTAS EXPOSTAS À DIFERENTES PROTOCOLOS DE FOTOATIVAÇÃO http://revista.famma.br/index.php/rex/article/view/209 <p>Este estudo tem como objetivo avaliar o grau de conversão de 2 resinas compostas do tipo Bulk fill de alta viscosidade e 2 resinas compostas convencionais, expostas a dois protocolos de diferentes intensidades de fotoativação. Nesse estudo foram utilizados quatro diferentes tipos de resinas compostas, sendo elas; Duas Bulk Fill de alta viscosidade, (Filltek Bulk Fill (FBF), Tetric N-Ceram Bulk Fill (TNC)) e duas resinas convencionais (Filltek Z350XT (ZXT) e Palfique LX5 (PLX)), utilizou-se para embasamento desse trabalho a lei da reciprocidade, que afirma que a fotopolimerização acontece devido à quantidade de luz final absorvida pelo corpo, não variando de acordo com a intensidade e o tempo de exposição para chegar nesta intensidade final. Utilizou-se o aparelho VALO Cordless Led Curing light, para realizar a fotoativação, em dois diferentes protocolos. O primeiro protocolo foi utilizado a intensidade de fotoativação de 1000 mW/cm3 com tempo de 10s. Já o segundo protocolo, foi utilizado uma intensidade de 3200 mW/cm3 com tempo de 3s. As resinas foram confeccionadas conforme a descrição de seus fabricantes, sendo as resinas compostas Bulkfill na espessura de 4mm e as convencionais na espessura de 2mm. Os grupos experimentais foram divididos em 8, contando com o ruzamento dos 4 tipos de resinas com os dois protocolos. Os resultados de grau de conversão obtiveram : Variação entre 17,30% até 48,06% para os grupos testados. Todas as resinas compostas apresentaram diferenças estatisticamente significativa entre os dois protocolos de fotoativação, com exceção da resina Z350XT. Podemos concluir que o protocolo de fotoativação 1 resultou em melhores graus de conversão quando comparado ao protocolo 2.</p> <p>&nbsp;</p> RUFINO, R. M ROMANO, C. D. O BRANDÃO, F. S. Copyright (c) 2023 2023-01-17 2023-01-17 4 - CARACTERIZAÇÃO DO FLUXO DE ATENDIMENTO DA CLÍNICA ODONTOLÓGICA DA UNIFAMMA http://revista.famma.br/index.php/rex/article/view/210 <p>Objetivo: Este trabalho tem como objetivo apresentar o fluxo de atendimento da clínica de odontologia do Centro Universitário Metropolitano de Maringá (UNIFAMMA), especificado por diferentes especialidades, e relatar de forma critica a percepção dos autores sobre a importância destes atendimentos para os envolvidos. Metodologia: Foi realizado um levantamento de todos os prontuários devidamente cadastrados pela clínica odontológica da UNIFAMMA com início em fevereiro de 2021. Foi criado uma tabela, na qual era preenchida com as diferentes especialidades, dentística, periodontia, cirurgia, prótese, pediatria/ortodontia e endodontia, que constava em cada prontuário, portanto o número de especialidades quando somadas foram maiores do que o número de prontuários atendidos. Resultados: Após a avaliação de um total de 592 prontuários cadastrados, foram encontrados 156 prontuários de pediatria/ortodontia infantil, 239 pacientes passaram por procedimentos de periodontia, 255 de dentística restauradora, 26 de cirurgia, 46 de prótese e 16 de endodontia. A partir destes dados é possível realizar um levantamento sobre o perfil de necessidade dos pacientes atendidos, possibilitando a elaboração de sistemas e/ou processos que tornem possíveis o aperfeiçoamento do atendimento tanto para os pacientes quanto para o processo de ensino e formação dos graduandos da Instituição UNIFAMMA. Considerações finais: A clínica odontológica de forma geral se mostra como uma alternativa interessante aos atendimentos do SUS, com caráter resolutivo e especializado para atender as diversas necessidades da população. A clínica também se mostra essencial na formação de profissionais capacitados, que iniciam seus atendimentos sob supervisão de docentes cirurgiões dentistas, onde são realizadas discussões dos diagnósticos e suporte inicial para prática das atividades desenvolvidas em laboratórios em odontologia.</p> <p>&nbsp;</p> SANTOS, C. E. M SASSO RN CESAR GPS BRANDÃO FS. Copyright (c) 2023 2023-01-17 2023-01-17 4 - DIAGNÓSTICO CLÍNICO DE NEVO BRANCO ESPONJOSO EM BEBÊ http://revista.famma.br/index.php/rex/article/view/211 <p>O nevo branco esponjoso (NBE) é classificado como uma doença autossômica genética de caráter dominante, expressado como por placas brancas de caraterísticas rugosas e difusas que incidem na mucosa bucal. Suas representações clínicas podem aparecer em idade precoce e o sexo feminino comumente é o mais acometido. O objetivo do presente trabalho é relatar o caso clínico de diagnóstico de nevo branco esponjoso em uma bebê. A paciente do sexo feminino, foi levada à atendimento odontológico pelos pais queixando-se de presença de manchas brancas em toda a mucosa bucal da criança. Ao exame clínico foi observada a presença de placas brancas rugosas e difusas, localizadas bilateralmente na mucosa jugal, mucosa do lábio superior e superfície dorsal da língua. No histórico médico não houve relato de qualquer tipo de alteração sistêmica, e a mãe ainda relatou que o caso havia sido diagnosticado e recebeu tratamento com Nistatina por mais de 20 dias, porém a patologia não teve regressão. Uma revisão da história familiar revelou que a mãe da paciente possui histórico de nevo branco esponjoso em sua cavidade bucal, o que foi um fator determinante para o diagnóstico na criança. Diante do exposto conclui-se que é de extrema importância o profissional ponderar acerca de um tratamento medicamentoso sem sucesso, reavaliando o caso e realizando novas investigações evitando assim tratamentos desnecessários.</p> KODAMA, S.D FREITAS, C. M GONÇALVES, M. V. J VALERO, C. M EMERENCIANO, N. G. Copyright (c) 2023 2023-01-17 2023-01-17 4 - HIPOCLORITO DE SÓDIO E SEUS EFEITOS NO EXTRAVASAMENTO APICAL DE UM MOLAR SUPERIOR: RELATO DE CASO http://revista.famma.br/index.php/rex/article/view/212 <p>O tratamento endodôntico é um procedimento constituinte e recorrente na prática odontológica. A desinfecção dos canais radiculares e seu posterior preenchimento com material obturador é realizado durante o preparo químico-mecânico e, dentre as suas etapas, a irrigação do sistema de canais requer atenção quanto à escolha do irrigante, bem como a sua correta forma de utilização. O hipoclorito de sódio (NaOCl) é um dos mais utilizados devido à sua capacidade de dissolução de tecidos orgânicos e sua potente ação antimicrobiana. No entanto, o seu uso pode levar a acidentes de extravasamento através dos ápices radiculares. Sendo assim, quando ocorrem, geram desconforto ao paciente, com tempo variável de recuperação. Diante disso, este trabalho objetiva relatar e discutir um caso clínico de extravasamento apical de NaOCl 2,5% ocorrido durante a biopulpectomia de um primeiro molar superior esquerdo (dente 26). Paciente de 53 anos, diabética e alérgica à penicilina, procurou atendimento odontológico devido à dor no dente 26. Através de um exame clínico e radiográfico foi diagnosticada uma pulpite irreversível causada por uma restauração extensa, a qual atingiu a câmara pulpar. O extravasamento apical ocorreu na irrigação final do canal mésio-vestibular, com 17mm de comprimento de trabalho. A paciente queixou-se de intensa “ardência” na face do lado esquerdo, seguida de dor forte. Realizou-se a tentativa de neutralização com irrigação abundante de soro fisiológico e concomitante aspiração do canal, com sugador endodôntico e ponta Capillary Tips. O protocolo medicamentoso utilizado foi de um comprimido de Dexametasona (4mg) ainda no consultório e prescrição de Clindamicina (300mg), a cada 8 horas por 7 dias e Toragesic (10 mg) em caso de dor, além de compressa fria nas primeiras 24 horas e quente após o primeiro dia. Foi feito acompanhamento de 12 horas, 24 horas e 36 horas, por meio de fotos e telefonemas. Nas consultas de reavaliação, percebeu-se um inchaço do lado esquerdo da face com a presença de hematomas e a paciente demonstrou medo e queixou-se de dores. Posteriormente, foi realizado o acompanhamento diário na primeira semana e na sequência, acompanhamento semanal. Após 30 dias obteve-se melhora dos hematomas e a queixa de dor regrediu para uma queixa de “queimação” na face do lado esquerdo. Após a remissão dos sinais de sintomas, foi realizada a obturação dos canais radiculares, pedido de tomografia do dente 26 e encaminhamento para a restauração definitiva. Portanto, podemos considerar que é de suma importância que o cirurgião-dentista conheça a anatomia radicular e suas variações, bem como estar ciente dos riscos que envolve o uso de hipoclorito de sódio, e estar preparado para intervir em casos de acidentes e complicações de extravasamento apical com o mesmo na rotina clínica.</p> <p>&nbsp;</p> ROSÁRIO, T. A TOMAZOLI, A. T. P. Copyright (c) 2023 2023-01-17 2023-01-17 4 - INSTRUÇÃO DE HIGIENE ORAL – PROJETO ESTRELA-MÃE: RELATO DE EXPERIÊNCIA http://revista.famma.br/index.php/rex/article/view/213 <p>Objetivo: Abordar a necessidade de intervenção de cursos de odontologia na saúde bucal de crianças carentes, através do relato de experiência de alunos do Centro Universitário Metropolitano de Maringá (UNIFAMMA) que participaram da visita ao Projeto Estrela-Mãe. Metodologia: Este estudo descritivo, expõe a partir de uma avaliação crítica dos alunos que participaram do projeto “Orientação e instrução de higiene junto às crianças do projeto Estrela Mãe” na cidade de Paiçandu no dia 08 de setembro de 2022. O projeto acontece semanalmente aos sábados e conta com a participação de diversos profissionais que buscam contribuir com a formação de em torno de 70 crianças assistidas por ele. No dia relatado, os alunos da UNIFAMMA acompanhados por 2 professores cirurgiões dentistas, compareceram ao projeto para entregar escovas às crianças, instruir e incentivar quanto à necessidade da higiene bucal. Os alunos se dividiram em duplas e foram realizando a evidenciação de placa e em seguida instrução de como realizar a escovação, na sequência as crianças se olhavam no espelho para verem seus dentes corados, foi realizado inicialmente a escovação pelas crianças e na sequência um reforço na instrução, para finalizar todas as crianças passavam pela escovação e avaliação da necessidade de tratamento odontológico por um aluno com intuito de remover toda a placa da boca delas, além de identificar as crianças que serão encaminhadas posteriormente para a clínica da UNIFAMMA. Todas as crianças que realizaram a escovação ganharam um adesivo com o símbolo de um dente que foi tratado como uma medalha para os que participavam da atividade. Resultados: Foi possível observar através da experiência que estas crianças não possuem um incentivo à higiene bucal diariamente, e que a realização de projetos de incentivo à saúde bucal é<br>essencial pensando em prevenção.</p> MOITINHO, R. M. R. R SUGUIURA, D. SANTOS, C. E. M SASSO, R. N. EMERENCIANO, R. N. BRANDÃO, F. S. Copyright (c) 2023 2023-01-17 2023-01-17 4 - MANEJO DO COMPORTAMENTO PARA TRATAMENTO DE MUCOCELE EM PACIENTE PEDIÁTRICO http://revista.famma.br/index.php/rex/article/view/214 <p>Mucocele é uma lesão comum da mucosa labial que ocorre quando glândulas salivares menores são traumatizadas, resultando na ruptura de um ducto de glândula salivar e derramamento de muco para o interior dos tecidos. O presente trabalho tem por objetivo presente relatar um caso clínico de mucocele tratada na clínica de odontopediatria da UNIFAMMA. Paciente M.H.C.M., com 9 anos de idade, sexo masculino procurou atendimento odontológico devido à presença de uma lesão em sua boca. No exame clínico intra-bucal foi identificado uma lesão situada na mucosa do lábio inferior, no lado esquerdo com coloração semelhante a mucosa, móvel a palpação e com tamanho aproximado de 3 centímetros. A mãe relatou que o paciente não reclamava de dor ou incômodo e o tempo de evolução da lesão era de aproximadamente 6 meses, a mesma já havia procurado outros profissionais, mas que não prosseguiram com o tratamento devido falta de cooperação da criança. Mediante as características clínicas a hipótese diagnóstica foi mucocele. O plano de tratamento inicial foi o manejo do comportamento e a micromarsupialização, que é uma técnica minimamente invasiva e indolor, objetivando a redução da lesão e também auxiliar na cooperação do paciente. Após 30 dias do procedimento observou-se uma redução significativa no tamanho da lesão e a criança estava confiante no tratamento, portanto optou-se por realizar a biópsia excisional. Após a biópsia o material colhido foi enviado para exame histopatológico confirmando a hipótese diagnóstica de mococele. Conclui-se que o sucesso no tratamento odontopediátrico depende não somente do conhecimento técnico do procedimento, mas também da capacidade do profissional no domínio comportamental do paciente.</p> OLIVEIRA, G EMERENCIANO, N. G. Copyright (c) 2023 2023-01-17 2023-01-17 4 - MECANISMO DE AÇÃO DA TOXINA BUTOLÍNICA NO SORRISO GENGIVAL: UMA REVISÃO DE LITERATURA http://revista.famma.br/index.php/rex/article/view/215 <p>O sorriso é uma expressão facial que, em sua fisiologia, é a consequência da exposição dos dentes e gengiva devido a contração de grupos musculares dos terços médio e inferior da face. Algumas pessoas ao sorrir demonstram um problema estético denominado sorriso gengival, com uma exposição superior a 3mm de gengiva na parte superior. As causas podem ser diversas, como hiperatividade muscular, comprimento do lábio, comprimento da coroa clínica, extrusão alveolar ou dentoalveolar, e excesso do crescimento vertical da maxila. Com o intuito de proporcionar um sorriso harmônico, o tratamento com a toxina botulínica do tipo A (BTX-A) é a comumente utilizada por conta da sua eficiência. Diante do exposto, o objetivo desse trabalho é analisar o mecanismo de ação da toxina botulínica para o tratamento de hiperfunção muscular no tratamento do sorriso gengival. Foi realizada uma revisão de literatura nas bases de dado PubMed e Scielo, com os descritores “Gummy smile” e “Botulinum Toxins”, publicados nos últimos 5 anos. A toxina é uma proteína produzida pela bactéria Clostridium botulinum, que inibe a liberação de acetilcolina, um dos responsáveis pela contração muscular. Inicialmente a porção ativa da BTX-A encontra-se protegida por um envoltório proteico denominado complexo neurotoxina hemaglutinina, e após ser injetada no músculo, as proteínas do envoltório protetor desprendem-se da neurotoxina ativa e o complexo é desintegrado por completo, de modo que as moléculas da neurotoxina são liberadas para atuar, ligando-se aos receptores na região externa a junção neuromuscular. A neurotoxina liga-se a proteína sinaptosômica (SNAP-25) e impede que a acetilcolina seja liberada, e portanto, causando a redução do tônus muscular. A difusão e a área de efeito dependem da concentração e do volume aplicado. O<br>tratamento é paliativo e temporário, com estabilidade nas primeiras 8 semanas pós, pois surgirão novos terminais do axônio e a função neuromuscular será reestabelecida.</p> BARROS, P. L. E. ALVES, A. C. G Copyright (c) 2023 2023-01-17 2023-01-17 4 - SÍNDROME DO DENTE RACHADO ENCONTRADA EM PACIENTE COM RESTAURAÇÃO EXTENSA EM AMÁLGAMA: RELATO DE CASO http://revista.famma.br/index.php/rex/article/view/216 <p>A síndrome do dente rachado pode ser definida como a presença de trinca presente em dentes posteriores, na região da dentina e que ocasionalmente estende-se para a polpa ou tecidos periodontais. Uma das formas de diagnóstico é quando o paciente sente uma dor ao morder um objeto e que é cessada após a remoção da pressão. A presença de restaurações não adesivas, como o amálgama, pode estar mais susceptível a presença de fissuras, devido à fatores como design da cavidade e expansão deste material restaurador. Além disso, uma pressão contínua exercida por pacientes que realizam bruxismo ou apertamento, potencializa o estresse na região. Tais condições podem acelerar a rachadura presente, prejudicando a estrutura dentária e consequentemente a longevidade do dente. O objetivo do presente caso é relatar a presença da síndrome do dente rachado em um paciente diagnosticado com bruxismo e presença de restaurações extensas em amálgama. Paciente de 40 anos, gênero masculino, queixou-se de sensibilidade ao mastigar, nos dentes 46 e 47, com restaurações extensas em amálgama e sem tratamento endodôntico. Ambos apresentaram incomodo moderado a percussão vertical, sem alterações no teste de sensibilidade ao frio e na análise radiográfica. Optou-se pela troca das restaurações de amálgama por restaurações adesivas em resina composta. Após a remoção, foram observadas linhas de fratura, compatíveis com a síndrome do dente rachado. Foi realizado um selamento imediato da dentina com um adesivo fotopolimerizável de 3 passos, e restauração com resina composta nanohíbrida, sendo de forma direta no dente 47 e indireta no 46. Após 7 dias, o paciente relatou uma remissão dos sintomas a percussão, com conforto ao alimentar-se. Deste modo, a opção por restaurações adesivas, principalmente em cavidades mais amplas, onde somente a perda de estrutura dental já reduz<br>sua resistência a estresses mecânicos, mostra-se vantajosa frente ao uso do amálgama, pois suas propriedades biomecânicas mostram-se mais parecidas com o dente, reduzindo os riscos do aparecimento ou da progressão dessas rachaduras.</p> MARIM, J. L. S MICHETEN, T.C. SOUZA, P. C. M ALVES, A. C. G. Copyright (c) 2023 2023-01-17 2023-01-17 4 -